Os Desafios do Ministério Pastoral

À luz da Palavra de Deus e das realidades do mundo contemporâneo, são tantos os desafios do ministério pastoral, que dificilmente alguém conseguirá destaca-los ou defini-los em poucas palavras. Para iniciar o entendimento nesse assunto tão vasto, é necessário que se faça uma séria reflexão sobre a natureza do ministério pastoral propriamente dito. O que é o ministério pastoral? Por que Deus o instituiu? Quais os propósitos de Deus para o ministério pastoral? Que características precisam possuir aqueles que foram chamados para o ministério pastoral? Os textos bíblicos selecionados a seguir, poderão nos oferecer o conteúdo ideal para que se compreenda a verdadeira natureza e os legítimos propósitos dessa tão extraordinária vocação que Deus por sua graça concede a alguns homens (Jr 3.15; 1 Tm 3.1-7; Tt 1. 5-9; 1 Pe 5.1-4; Hb 5.4; 1 Tm 4.1-16; At 20.17-38; 2 Tm 4.1-5).

Considerando os textos bíblicos acima citados, pode-se afirmar que dentre os múltiplos desafios que se erguem à frente do verdadeiro ministro do evangelho de Cristo, os seguintes são os mais relevantes:

O desafio de ser fiel à natureza espiritual do ministério pastoral;
O desafio de cumprir os propósitos delineados pelo próprio Deus para o ministério pastoral;
O desafio de compreender a sua extensão e alcance no Reino de Deus;
O desafio de compreender a vocação espiritual do pastor;
O desafio de equilibrar a vida devocional, pessoal, familiar, social, acadêmica e ministerial;
O desafio de cuidar bem de si mesmo e da doutrina de Deus;
O desafio de conservar a integridade nessa geração corrupta e relativista;
O desafio de começar bem, continuar e terminar bem a sua carreira ministerial;

I – A integridade no ministério é fruto do caráter de Deus na vida do obreiro
A integridade é um dos assuntos mais proeminentes da Palavra de Deus. O sentido do termo está ligado à inteireza. Vem do latim integritas e se aplica à retidão, à santidade e a um espírito irrepreensível. Ela está ligada ao caráter e não apenas à reputação da pessoa; é um tesouro insubstituível na vida de um homem. Sendo este homem um servo de Deus, esta virtude é mais necessária ainda.

Uma pessoa íntegra não é dividida (o que é duplicidade) nem fingida (o que é hipocrisia), é inteira. Pessoas de integridade nada tem a esconder, suas vidas são livros abertos conforme 2 Co 1.12,17,18. A integridade está para o caráter do indivíduo ou da empresa assim como a saúde está para o corpo, ou como a visão perfeita está para os olhos. O fruto do Espírito Santo conforme o apóstolo Paulo descreveu em Gálatas 5.22,23, é a uma síntese das qualidades do caráter de Jesus Cristo. É uma amostra perfeita do caráter que Deus deseja implantar e reproduzir em nossa natureza. Quer em se tratando dos seus relacionamentos familiares, negócios, ou no convívio no corpo de Cristo, a integridade deve ser sempre levada a sério, pois Jesus Cristo afirmou que é pelo fruto que se conhece a árvore (Mt 7.15-20).

O termo está intimamente ligado ao sentido da palavra fiel (pistós), que aparece no Novo Testamento com o sentido de: “digno de confiança, confiável, verdadeiro, firme e sincero”. (Bíblia de Estudo Palavras Chave, p. 2356, 2011). Há duas palavras que nos ajudam compreender o sentido mais profundo de integridade: a primeira é transparência. Este termo originalmente, nos traz a ideia de “passagem da luz ou de determinada imagem através de”. A ideia de transparência é de que posso ver o que está do outro lado ou que se encontra no interior de alguma coisa. Por exemplo, ao olharmos uma janela onde os vidros são transparentes, limpos, podemos ver facilmente o que está do outro lado. No sentido moral, é a nossa realidade vivencial. Transparência na vida é o mesmo que autenticidade. É sermos o que realmente somos, é o abandono de toda falsidade, hipocrisia ou fingimento. Em Mt 23.27,28, Jesus censurou os fariseus e os doutores da lei, por causa de sua falta de transparência. Eram pessoas que falavam e demonstravam uma coisa e viviam outra totalmente diferente. A segunda palavra é sinceridade. De acordo com o Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, o termo quer dizer franqueza, lealdade, lisura, sem mistura, sem malícia, puro, franco, leal. Na Grécia antiga, era chamado “sem cera”, alguém em quem se pudesse confiar. No original no N.T., os termos mais conhecidos para sinceridade são: eilikrines e eilikrineia e significam sem mistura, sem liga, probidade, equidade. O termo lembra o processo de sacudir cereais numa peneira para separá-los de toda sujeira e também o exame de um artigo à luz do sol.

II – Um exame bíblico sobre a importância da integridade
a)A palavra de Deus ao tratar sobre o tema da integridade pessoal e interior, mostra, por exemplo, que Deus disse a Samuel na casa de Jessé, que Ele, o Senhor, olha para o coração, 1 Sm 16.7, Ele procura integridade. O homem olha apenas o exterior.

b)O patriarca Jó é citado como um exemplo de integridade, Jó 1.1; 31.1; 42.5.

c)Davi orou a Deus pedindo um coração puro, Sl 51.10, assim como expressou a Deus o desejo de andar em um caminho de integridade, Sl 139.23,24.
d)O Salmista Asafe testemunhou a integridade do coração de Davi Sl 78.70-72.
e)O lema do sacerdócio levítico deveria ser ‘santidade ao Senhor’ Êx 28.36.
f)O Senhor Jesus Cristo afirmou que o amor a Deus deve ser de todo o nosso coração Mt 22.37-40; Mc 12.28-31, isto é, com o coração íntegro.
g)O servo fiel e prudente será posto sobre todos os bens do seu Senhor, Mt 24.45-47, por causa da sua integridade. Aquele que é fiel no pouco será colocado sobre o muito, Mt 25.19-23; Lc 12.42-48, por causa da sua integridade.
h)Paulo entendeu que foi considerado digno de ser posto no ministério porque foi julgado fiel, 1 Tm 1.12; Em outra ocasião ele testemunha que alcançou misericórdia de Deus para ser fiel, 1 Co 7.25 e afirmou que a integridade é um dos principais requisitos na liderança espiritual, 1 Co 4.1,2; 2 Tm 2.2.
i)Pedro considerou o seu liderado Silvano, ‘um fiel irmão’, 1 Pe 5.12.
k)Jesus garantiu a coroa da vida aos que conservarem sua integridade até o fim, Ap 2.10.

III – A integridade sustenta a liderança pastoral eficaz
Um ministro ou líder que tenta levar ou conduzir os negócios do reino de Deus sem autenticidade pode até conseguir a aprovação dos homens por um período de tempo, porém, jamais, terá a aprovação de Deus. “Os meus olhos procurarão os fiéis da terra par que estejam comigo; e o que anda em reto caminho esse me servirá. (Sl 101.6. Não basta liderar, é preciso liderar com integridade; não basta pastorear, é preciso pastorear com integridade; não basta vencer, é preciso cumprir as regras da corrida, 1 Co 9.25-27.

 

Pr. Rayfran Batista da Silva – Líder da AD em Santa Inês

LOGIN