Você está em: Mensagens do Presidente
“Não Tomarás o Nome do Senhor Teu Deus, em Vão” (Êx 20.7).

O Terceiro Mandamento da Lei de Deus

Apesar de em parte alguma do livro de Êxodo reivindique que o seu autor foi Moisés, o livro inteiro expressa mui forte isto e principalmente na porção que se compreende do capítulo 20 até o fim do livro do Deuteronômio, que de fato o seu autor foi Moisés. Pois, são várias as provas que reivindica para si a autoria do livro, inclusive, a linguagem exata na forma positiva mosaica. Neste ponto, deixa claro completamente que Moisés, foi o autor do Livro da Aliança, que inclui os Dez Mandamentos, os Juízos e Estatutos. Também chamado de “O Código Sacerdotal”, composto de 613 mandamentos divididos em duas partes: 365 leis positivas e 248 leis negativas. Depois desta modesta e ligeira observação, gostaríamos de comentar sob o terceiro Mandamento da Lei de Deus, contido em Êxodo 20.7, Dt 5.11, que diz: Não tomarás o nome do Senhor teu Deus, em vão, porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.

Entre os hebreus a palavra “NOME” no hebraico (shêm), liga-se inteiramente à pessoa e indica o seu caráter. Por este motivo surgiu o cuidado de Moisés a ensinar o povo a não desonrar o Santo Nome do Senhor. Temos vários exemplos, mas, ficaremos somente com estes dois. Disse Moisés a Deus: Eis que, quando eu vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós outros; e eles me perguntarem: Qual é o sue nome? Que lhes direi? Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros (Êx 3.13-14), antes que Abraão existisse, EU SOU (Jo 8.58), com isto verificamos que o “NOME” estava interligado àquela pessoa, assim como ao seu caráter e suas ações, visto que o nome refletia toda qualidade positiva ou negativa daquela pessoa. Como a exemplo disso: Quando Israel perdeu a guerra nos dias de Eli. Este sendo informado da derrota de Israel, a morte dos seus dois filhos e a Arca de Deus tomada, não suportou e morreu. A esposa de Finéias, um dos filhos de Eli sentindo dores de parto veio a falecer também. Eles puseram o nome da criança de “ICABÔ” = “Foi-se a glória de Israel”.Nome este que refletia na “criança” todas as dores e tristezas da derrotas que havia ali acontecido (ISm 4.20-21).  

Visto que o “Eu Sou” é um verbo, numa forma que produz o passado, presente e futuro ao mesmo tempo, dá o nome transliterado “Jeová” (Yahweh), que indica a natureza eterna e imutável de Deus. Nome Santo: Eu sou o Senhor (…), portanto sereis santos, porque eu sou santo (Lv 11.45, IPe 1.16). Por isto, conclamamos a todos que aprendamos a honrar e santificar o bom nome do Senhor. Lembrando sempre que este Terceiro Mandamento da Lei está intrinsecamente ligado ao Santo Nome de Deus.

 Deus é Santo e o seu nome é Santo. Quando falamos de Deus, não devemos pensar simplesmente numas letras, mas sim no próprio Deus, Uno e Trino. Ou na forma de sua Tri-unidade como nós o adoramos.

 Por sua forma de grandeza como Paulo escreveu: Ó profundidade da riqueza, tanto da sua soberania como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!

            O seu nome devemos pronunciá-lo com grande respeito, reverência e temor. Os santos anjos no céu louvam continuamente o Santo Nome de Deus! Proclamando: Aleluia! Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus dos Exércitos. E santificado seja o seu nome hoje e sempre.

Este terceiro mandamento proíbe restritamente o abuso do nome de Deus, assim como uso inconveniente da Tri-unidade. No nosso cotidiano sempre corremos o risco de irmos contra  este mandamento. Quando juramos em seu nome, por exemplo, ou prometemos o que não podemos fazer em o nome DELE. Ou fazem comércio com o seu nome, com o interesse apenas de tirar proveitos próprios. Assim como o atrevimento de dar recado em nome Deus, sem que Ele os tenha ordenado. Os que assim procedem tomam o Santo Nome de Deus em vão, dizendo: Deus está me ordenando colocar minha mão na tua cabeça e ti abençoar!!!  E fazem tudo isto e sem receio na profanação do terceiro mandamento. Usando uma linguagem esquisita para intimidar os incautos prometendo milagres que nunca acontece, como o de arrancar câncer na próstata pelo o estômago. Usando palavras estranhas e profanando o Santo Nome Deus. E se esquecem, qual foi o final do amalequita mentiroso que levou a falsa notícia a Davi do que ele havia feito com Saul (II Sm 1.8-15). Faz anotações de placas de carros ou o número do telefone e na igreja, usa o Santo Nome de Jesus ao dizer: Que está sendo revelando algo sobre os tais proprietários. Quando a Bíblia diz: Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão (Dt 5.11). Tudo isto é pecado contra o terceiro mandamento do Decálogo de Deus. Cuidado! A porta é larga e o caminho também! Mas, não dá para fazer retorno. Porque o nome de Deus convém ser adorado e honrado, da maneira e forma como ELE é. E nunca da maneira que eu acho que deve ser.

Deus nunca vai concordar com alguém que resolva usar o seu nome para jogar pragas, maldições, condenações, ou encobrir práticas criminosas! Ou ainda reduzir pessoas há estado de escravidão e tortura. Pelo contrário, o Nome de Deus é grande e poderoso. O Nome de Deus é Santo e eterno cheio graças e majestade. O Nome de Deus é perfeito e SANTO, o qual não se pode tomar em vão. Tomemos cuidado para não tomarmos este santo nome em vão. O seu nome merece respeito. CUIDADO! ELE ESTÁ VOLTANDO. AMÉM!!!       

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *. Obs.: Enviando este comentário você estará garantindo uma licença perpétua para reproduzir aqui sua opinião, nome e site. Comentários ofensivos ou inapropriados serão removidos. Seu e-mail é usado apenas para fins de verificação, e não será publicado ou compartilhado de forma alguma..