Você está em: Histórico

CEADEMA: Uma trajetória de realizações

Por Gildenemyr L. Sousa

A Convenção Estadual das Igrejas Evangélicas Assembleias de Deus no Maranhão – CEADEMA é uma pessoa jurídica de direito privado, natureza religiosa, autônoma, sem fins lucrativos e duração indeterminada. Fundada pelos pastores Nels Julius Nelson, Luiz Higino de Souza, João Jonas, Agostinho Ribeiro, Leandro Ribeiro, Ludgero Bispo, Hilário Pereira, em 15 de novembro de 1934, na cidade de Coroatá, Estado do Maranhão.

Neste ano 2015, a CEADEMA completa 81 anos de sua fundação e organização e realizará nos dias 14 a 18 de dezembro sua 76ª AGO, na cidade de Pedreiras. São percorridos 81 anos repletos de atividades evangelísticas, pastorais e administrativas junto às igrejas Assembléias de Deus no Maranhão.

Início – Quando o pastor e colportor Clímaco Bueno Aza organizou a primeira Igreja Assembléia de Deus do Maranhão, em 15 de janeiro de 1922, precisamente na residência do casal Propécio Lázaro Lobato e Ana Almeida Lobato, na Rua 07 de Setembro nº 149, em São Luís, já encontrou sinais evidentes da boa semente do evangelho em terras gonçalvinas.

Vários maranhenses já haviam sido alcançados com as boas notícias do evangelho, pois os nossos irmãos presbiterianos e batistas preparavam o terreno há um bom tempo e faziam as primeiras semeaduras da Santa Palavra em nosso solo. Desde junho de 1885, chegara a São Luís o missionário, médico e empresário George Butler, tendo sido ele o fundador da primeira igreja presbiteriana em São Luís, sendo esta a primeira igreja evangélica organizada no Estado do Maranhão.

Em 1908, os nossos irmãos batistas continuaram a semeadura espiritual, com a chegada do missionário Eurico Nelson, que plantou a primeira igreja batista em São Luís, localizada até hoje na Avenida Guaxenduba. Deus seja engrandecido pelo pioneirismo e bravura dos nossos irmãos presbiterianos e batistas em São Luís e em diversas regiões do Maranhão, que muito contribuíram para a continuação da semeadura e a grande colheita do ardoroso trabalho assembleiano a partir de 1922.

Grande Arrancada – Porém, a grande arrancada da evangelização na capital dos azulejos e em todo estado do Maranhão só veio acontecer com todo ímpeto após a chegada do missionário colombiano Clímaco Bueno Aza e a consequente implantação da primeira igreja Assembléia de Deus no Maranhão. Esta foi organizada por iniciativa da AD em Belém do Pará, que não somente plantou a igreja mas também a regou, cuidando desta no envio de obreiros, supervisão e ajuda financeira até a década de 40.

A chama missionária que ardia no coração dos nossos pioneiros pentecostais levou-os a sair da capital cheios do Espírito Santo e, repletos de amor pelas almas, chegaram ao interior, alcançando milhares de maranhenses com a genuína mensagem do Evangelho. A igreja cresceu e, em pouco tempo, conquistou outros milhares para Cristo Jesus.

Primeira Convenção – A primeira “Convenção” (termo utilizado até hoje para denominar a AGO) foi presidida pelo pastor Nels Julius Nelson, que residia em Belém (PA). Criada com o objetivo de cuidar dos interesses das igrejas e dos pastores neste Estado, foi realizada em 15 de novembro de 1934, na cidade de Coroatá, onde estavam presentes 02 pastores, dois diáconos e vários auxiliares, sendo ordenado na ocasião o primeiro obreiro ao ministério pastoral, o irmão João Jonas, cidadão húngaro que veio a ser um ardoroso evangelista dos sertões maranhenses. Quando da fundação da Convenção Maranhense, os pastores Nels Nelson, Agostinho Ribeiro, João Jonas, Luis Higino, Leandro Ribeiro, Ludgério Bispo e Hilário Pereira talvez não conseguissem imaginar o quanto aquele humilde começo estaria representando para o reino de Deus neste estado.

Há inúmeros motivos para celebração a Deus pela a existência da CEADEMA. O cuidado com a doutrina bíblica tem sido uma de suas marcas nestas oito décadas de história. A autorização, a ordenação e o pastoreio. A supervisão das igrejas, mediação entre obreiros e igrejas envolvidos em algum tipo de conflito, prestação de contas entre obreiros e entre obreiros e igrejas, a caixa de evangelização que já beneficiou centenas de campos de trabalho no seu período inicial e beneficia hoje muitos obreiros jubilados e viúvas de obreiros, a abertura de novos campos de trabalhos, a obra missionária entre os indígenas e além fronteiras, todas estas realizações têm sido iniciativa não somente de igrejas mas principalmente da própria CEADEMA.

Além destas conquistas já citadas, devem ser mencionados os nomes de homens como Nels Nelson, o primeiro presidente da CEADEMA, conhecido nos anais da história Assembleiana como o “apóstolo da Amazônia”; Francisco Pereira do Nascimento,que foi pastor da igreja-mãe, em Belém do Pará; Alcebíades Pereira Vasconcelos, que depois de pastorear o interior do Maranhão e presidir a AD em São Luís e simultaneamente a Convenção Maranhense, tonou-se um dos maiores destaques nacionais no campo eclesiástico, tendo inclusive presidido a CGADB; Estevam Ângelo de Souza, que presidiu a CEADEMA por 38 anos, sendo responsável por sua organização jurídica e a maioria das decisões que norteiam muitos atos convencionais. De 1998 a 2003, a CEADEMA foi presidida respectivamente pelos pastores Antonio Meton Soares e Joacy Almeida Costa, que marcaram este período, pois foram os responsáveis pela transição da longa e exitosa gestão do Pr. Estevam Ângelo de Souza e a atual administração do Pr. Pedro Aldi Damasceno.

Atualmente – Os frutos de um trabalho volumoso que vem sendo empreendido na liderança do Pr. Pedro Aldi Damasceno, juntamente com a Mesa Diretora, continuam a serem colhidos pela CEADEMA. O pastor Pedro Aldi Damasceno, atual presidente da CEADEMA, eleito em 20 de novembro de 2003, tem contribuindo magistralmente para a continuidade da história e consolidação da CEADEMA enquanto instituição. A informatização da Secretaria e Tesouraria da CEADEMA, a construção da Sede administrativa e a unidade formam o conjunto da obra e dos efeitos da atual gestão, a qual Deus bondosamente tem abençoado.

Ainda há muita terra a ser conquistada, mas a Igreja Assembleia de Deus no Maranhão e a CEADEMA conseguiram até aqui, dá-nos muitos motivos de ações de graça, pois “Até aqui nos ajudou o Senhor”.