Você está em: Noticias
Convencionais aprovam contas da CGADB e debatem Declaração de Fé da denominação, por ocasião da 43ª AGO DA CGADB.

Culto de abertura da 43ª AGO foi marcado por fervor espiritual

Pastor José Wellington Bezerra da Costa destacou o perigo da frieza espiritual

O culto de abertura da 43ª Assembleia Geral Ordinária da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), que ocorre no templo-central da Assembleia de Deus Ministério do Belém,em São Paulo, foi marcado por fervor espiritual.

A abertura foi conduzida pelo pastor Joel Freire, dos Estados Unidos. Na ocasião, ele convidou o pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB, para a oração inicial. O veterano pastor declarou aberta a 43ª Assembleia Geral Ordinária na AD paulista.

O pastor Adalberto Dutra, presidente da Convenção das Igrejas e Pastores das Assembleias de Deus no Estado do Rio Grande do Sul (Ciepadergs), fez a leitura oficial em Filipenses 2.10-11, onde está escrito que “todo o joelho se dobrará e toda a língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor”.

Em seguida, a Banda Sinfônica do Belém teve a sua oportunidade de engrandecer o nome do Senhor. Os participantes também contemplaram a tradicional entrada das bandeiras. A bandeira do Brasil entrou primeiro, seguida pelas bandeiras de São Paulo, CGADB e demais estados brasileiros. Também foi entoado o Hino Nacional.

O culto teve ainda a participação do Coral do Círculo de Oração que marcou presença com suas 1,5 mil componentes em adoração ao Senhor, e do Coral Jovem, com cerca de 500 vozes que também enlevaram os presentes com exaltação e louvor. Os cantores da CPAD Music, Victorino Silva e Marcelo Santos, também adoraram ao Senhor juntamente com toda a igreja.

A Palavra da noite foi ministrada pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB, baseada no livro de Atos 28.1-2. O presidente da CGADB abordou os resultados maléficos que a frieza espiritual pode provocar na vida dos cristãos. “Não podemos deixar nos contaminar por qualquer indiferença. Somos crentes pentecostais. Quando Jesus vier buscar a Igreja, Ele deseja arrebatar uma Igreja no fogo”, destacou.
A oração final e a bênção apostólica foram impetradas pelo pastor Sebastião Rodrigues, presidente da Assembleia de Deus em Cuiabá (MT).
Ministros presentes na manhã desta quarta-feira tomaram ciência ainda dos eventos propostos para as comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante.

A manhã desta quarta-feira (26) na 43ª Assembleia Geral Ordinária da CGADB foi destinada para as discussões dos temas propostos em edital da CGADB, como a Declaração de Fé e a aprovação de contas.

Após o período devocional, o pastor Álvaro Alén Sanches, líder da Convenção de Ministros das ADs do Triângulo Mineiro (Comadetrim), ministrou a Palavra, com base no texto de Lucas 22.61,62 e Mateus 27.1-5, destacando que o verdadeiro arrependimento é a porta da salvação. O pastor falou que arrependimento deve ser uma conduta diária em nossas vidas, e explicou a diferença entre remorso e arrependimento. Aos ministros presentes, ele frisou a responsabilidade de orar pelas autoridades do nosso país. “Devemos orar pelo governo, pois falamos mais mal do que intercedemos”, enfatizou.

Na sequência, o pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da Convenção Geral da Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), deu início aos trabalhos das plenárias. Pastor Percy Fontoura fez a leitura da ata e, em seguida, foi feita a apreciação dos relatórios financeiros.

Pastor Israel Alves Ferreira, relator do Conselho Fiscal da CGADB, apresentou as contas da Escola Nacional de Missões (Emad), que foram aprovadas pelos convencionais presentes.

Foram apresentadas ainda as prestações de contas da Secretaria Nacional de Missões (Senami), e ainda as contas da CGADB e da CPAD. Os relatórios financeiros de todas foram aprovadas unanimemente pelos ministros. Pastor Israel Ferreira destacou que o endividamento da entidade é praticamente zero nos anos de 2015 e 2016.

Retomando a palavra, o pastor José Wellington fez referência ao biênio 2015-2016, com todas as contas aprovadas pelos convencionais, e também destacou a saúde financeira da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), enfatizando o trabalho bem direcionado do diretor-executivo Ronaldo Rodrigues de Souza.

Após aprovação das contas de todos os órgãos ligados à CGADB, pastor José Wellington propôs a análise da Declaração de Fé das Assembleias de Deus no Brasil, e exaltou o trabalho realizado pelo pastor Esequias Soares, presidente da Comissão Especial que tratou da elaboração da Declaração, e dos demais pastores membros da Comissão Especial.

Pastor Douglas Baptista fez a leitura da declaração de fé que fora apresentada a todos os líderes das ADs do Brasil. O material foi colocado sob o crivo dos líderes para aprovação e análise do conteúdo. Antes disso, os pastores puderam aperfeiçoar o conteúdo e enviar sugestões até setembro de 2016. Em 24 de janeiro de 2017, reunidos novamente, foi apresentado e lido em voz alta perante todos e entregue uma cópia aprovada como versão final a Declaração de fé das ADs no Brasil, que vai servir como parâmetro para as igrejas de todo o país.

Após a análise da Declaração de Fé, foi dada a palavra ao diretor-executivo da CPAD, Ronaldo Rodrigues de Souza, que apresentou aos pastores convencionais os projetos da Casa para o Ano de 2017, intitulado o Ano da Palavra. A programação, que foi lançada em 31 de outubro de 2016, será voltada para as comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante. A CPAD irá promover Fórum Teológico; Congresso de Escola Dominical, no Rio de Janeiro; viagem à Israel, com passagem pelo Egito e Alemanha, palco onde Martinho Lutero desenvolveu seu ministério. Será realizado ainda um culto na Ilha de Villegagnon, onde os primeiros evangélicos do Brasil foram assassinados e deixaram a sua marca e semente para a formação da igreja protestante nacional.

Com a palavra de volta, pastor José Wellington apresentou a decisão dos pastores que se reuniram em Recife para analisar o divórcio e união estável. O tema será debatido pelos convencionais durante as plenárias que serão realizadas à tarde, após o período de recesso para o almoço.

No segundo dia de 43ª AGO, convencionais se reuniram em plenária para definir o futuro da denominação

Após o recesso para o almoço, os convencionais retomaram as plenárias neste segundo dia de 43ª AGO. Pastor José Wellington Bezerra da Costa iniciou os trabalhos com uma palavra de oração. Em seguida, todos os presentes entoaram o hino 305 da Harpa Cristã.

Pastor Sebastião Rodrigues fez a oração em favor do pastor Elienai Cabral, preletor da tarde, que ministrou a Palavra sob o tema “A fé precede a graça”, baseada em Efésios 2.8. Ele cumprimentou a todos os convencionais e o presidente da mesa diretora e disse que esta convenção objetivou uma temática teológica que prestigia a teologia pentecostal. “Um tema que coincide com os 500 anos da Reforma Protestante. ‘Salvação e livre arbítrio’ é um assunto necessário, principalmente devido à dificuldade de algumas pessoas em entender o assunto. A Assembleia de Deus não poderia ficar de fora dessa comemoração”.

Após a ministração da Palavra, pastor José Wellington convidou a todos para agradecerem a Deus pela mensagem bíblica explanada pelo pastor Elienai Cabral.

Na sequência, o pastor Percy Fontoura (PR)  orou para que as discussões da plenária fossem abençoadas, com mente aguçada e aumento de paz, e que em tudo quanto acontecer o nome de Deus seja exaltado.

Pastor Douglas Baptista discorreu acerca do “Cremos” da denominação. A comissão formada por 18 integrantes, conforme deliberada pela manhã, se reuniu no período das 11h30 às 14 horas com debates com os propositores de acréscimos e alterações. Houve pequenas alterações. Ao final, a Declaração de Fé foi aprovada integral e unanimemente.

Após a aprovação da Declaração de Fé, foi dada a palavra ao pastor Isael de Araujo para falar acerca do Concurso Bíblico Nacional promovido pela CPAD, denominado “Crente Bom de Bíblia”. O concurso está dividido em três categorias: adolescentes (13 a 17 anos), jovens (18 a 25 anos) e adultos (a partir de 26 anos).

Para participar, os interessados devem se inscrever através do site do concurso até o dia 10 de julho. Todos os presentes receberam um folder com todas as informações sobre o Concurso que vai premiar os assembleianos com maior desenvoltura no manuseio das Escrituras Sagradas. O primeiro lugar entre os adolescentes vai ganhar uma bolsa de estudos do curso de idiomas de sua escolha e um kit contendo todas as Bíblias da CPAD. Nas categorias jovens e adultos, os dois vencedores vão ganhar uma viagem para Israel e um kit contendo as Bíblias da editora.

União estável

O presidente da CGADB, pastor José Wellington Bezerra da Costa, deu início aos debates sobre União Estável. Ele passou a palavra para o pastor Abiezer Apolinário, presidente da Comissão Jurídica da CGADB, que falou da necessidade de colocar em pauta, de acordo com o Estatuto da CGADB, temas que visam atuar na manutenção dos princípios morais e espirituais da AD. “Quando foi promulgada a nova Constituição do Brasil, em 1988, em seu artigo 126 parágrafo 3 está escrito, para efeito da proteção do estado, que é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher, devendo a lei facilitar a sua conversão em casamento”. Segundo o pastor Abiezer, “temos não somente a lei dos homens, mas a Bíblia Sagrada como regra de fé. Essa questão da União Estável é uma polêmica que aflige muitos servos de Deus por todo o país. Enfrentamos tempos difíceis e precisamos colocar um limite”, destacou o pastor.

Após debate entre os pastores e a mesa diretora, a conclusão do tema ficou para ser decidida na plenária que acontece nesta quinta-feira (27), a partir das 9 horas.

Preletor da noite, pastor Josué Brandão destacou a importância do tema “Salvação e Livre Arbítrio”, proposto para a 43ª AGO

O culto da noite neste segundo dia da 43ª AGO teve início às 19h30 desta quarta-feira (26). O pastor José Prado Veiga fez a abertura com uma palavra de oração e convidou a todos os presentes para entoarem os hinos da Harpa Cristã, Os guerreiros se preparam (212), Santo, Santo és Tu Senhor (252) e Um pensão real (406). Acompanhados da Banda de Música local, em uníssono, todos cantaram em honra ao Senhor.

O templo da Assembleia de Deus, Ministério do Belém, ficou repleto de fieis, juntamente com suas famílias e pastores oriundos de diversas regiões do Brasil.

Na continuação, pastor Prado Veiga convocou o Quarteto Gileade, da CPAD Music, para entoar a canção Oração. A cantora Lília Paz também adorou ao Senhor com louvores do seu mais recente trabalho pela CPAD Music. Em seguida o cantor Raphael Dias também louvou ao Senhor.

Pastor Alberto Serafim fez a leitura oficial da Palavra no Salmo 133 e, na sequência, participaram o Coral do Círculo de Oração e o Coral de Adolescentes. Pastor Álvaro Alén Sanches fez ainda um momento de oração e, na sequência, o pastor Luiz César Mariano, intercedeu a Deus pelo preletor  da mensagem da noite.

O preletor da noite foi o pastor Josué Brandão, de Feira de Santana, na Bahia, que pregou a mensagem da Palavra de Deus baseada em Romanos 8.29. O pastor qualificou o tema da AGO como fantástico. Segundo ele, não podemos pregar de modo apaixonado, flamejante, mas de maneira que os irmãos possam compreender.

De acordo com o pastor, as pessoas estão indo para a igreja porque querem solução para problemas conjugais; comparecem a uma igreja para tornarem-se clientes, para resolver o seu problema; se precisam de dinheiro, procuram um lugar onde a busca por bens é divulgada.  “Mas a prioridade de Jesus é a salvação da alma do homem. A busca deve ser para alcançar salvação através de sua morte na Cruz”.

Pastor Josué destacou ainda que “não se pode deixar que movimentos escusos cresçam no ambiente da Igreja, mas orientar os crentes para evitar tais doutrinas”. “Todas as vezes que a predestinação é invocada na Bíblia, jamais é precedida pelos pronomes Tu, Ele e Eu, mas pelos pronomes Nós, Eles, Vós. Quando a Bíblia fala de predestinação é quando uma pessoa “embarca” na Igreja está se predestinando para ir ao céu, e se não deseja ir para o céu é só recusar a proposta do Evangelho de Jesus”.

“Os melhores mestres debatem esse assunto intenso e eu preciso te dizer a salvação é o projeto de Deus para alcançar os homens de todo o mundo. Deus é o idealizador da salvação. Toda a Bíblia é a mensagem da salvação. Salvação não é o plano B de um Deus desesperado, mas o plano eterno de Deus”, finalizou.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *. Obs.: Enviando este comentário você estará garantindo uma licença perpétua para reproduzir aqui sua opinião, nome e site. Comentários ofensivos ou inapropriados serão removidos. Seu e-mail é usado apenas para fins de verificação, e não será publicado ou compartilhado de forma alguma..